Arquivo de etiquetas: Plurilinguismo

Obra “Comunicação Eletrónica na Aula de Português Língua Estrangeira”, coeditada por Sílvia Melo Pfeifer & Maria Helena de Araújo e Sá

Comunicação EletrónicaSílvia Melo Pfeifer, coordenadora do Ensino Português na Alemanha, e Maria Helena de Araújo e Sá, Professora associada com agregação em Didática e Tecnologia Educativa pela Universidade de Aveiro, coeditaram a obra “Comunicação Eletrónica na Aula de Português Língua Estrangeira”, publicada pela LIDEL, em 2013. Esta obra reúne contribuições de diversos especialistas acerca do uso de instrumentos de comunicação eletrónica na aula de PLE. Não obstante este contexto (PLE), as aplicações práticas descritas e avaliadas podem adaptar-se a outros contextos de circulação e de ensino-aprendizagem da Língua Portuguesa, nomeadamente enquanto Língua Materna ou Língua de Herança.

A obra coloca em destaque a multiplicidade de usos e de papéis que a interação online pode assumir no quadro de uma Didática da Língua orientada pelos princípios do plurilinguismo, do multiculturalismo e do socioconstrutivismo.

Os textos que compõem o presente volume debruçam-se sobre a utilização de diferentes instrumentos de comunicação eletrónica (chat, fórum de discussão, blogue, etc.) em contextos nacionais e internacionais (nomeadamente Brasil, Espanha e Estados Unidos) de ensino/aprendizagem de Português como Língua Estrangeira, com objetivos diversificados: desenvolvimento da competência intercultural e da competência de comunicação, da autonomia e da motivação.

Contribuições

Capítulo 1
Interatividade, interações e affordances na comunicação pedagógica mediatizada por computador
Francois Mangenot

Capítulo 2
Estratégias de aprendizagem/comunicação na interação exolingue em chat
Sílvia Melo-Pfeifer/Maria Helena Araújo e Sá

Capítulo 3
Construção das representações das línguas e das suas aprendizagens em situação de chat entre alunos de português e inglês como línguas estrangeiras no ensino superior
Mário Rui Domingues da Cruz/Maria Helena Araújo e Sá

Capítulo 4
Aprendizagem do português língua estrangeira por estudantes de língua materna alemã em contexto de blended learning: chat e exercícios interativos online na distinção entre o pretérito perfeito simples e o imperfeito
Carla Sofia Amado

Capítulo 5
Blended learning: cultura virtual para língua presencial
Jacques Songy

Capítulo 6
Relação entre comunicação e forma no ensino e aprendizagem de português como língua estrangeira em contexto teletandem
Aline de Souza Brocco/Douglas Altamiro Consolo

Capítulo 7
Interação em ambiente virtual no ensino do português como língua estrangeira adicional
Lucia Rottava/Antônio Márcio da Silva

Capítulo 8
O blogue pedagógico-didático numa abordagem coacional em aula de português língua estrangeira
Sílvia Melo-Pfeifer

Capítulo 9
Computadores e Internet para o ensino da literatura e cultura portuguesa num contexto de português língua estrangeira
Iolanda Ogando

Mais informações em http://www.fca.pt/cgi-bin/lidel_main.cgi/?op=3&mnu=21&edicao=1&isbn=978-972-757-708-8&novidade=0.

“Quanto vale a Língua Portuguesa”, com a Drª Ana Paula Laborinho

O programa da RTP 1 “Prós e Contras”, do passado dia 3 de dezembro,  teve como tema de debate “Quanto vale a Língua Portuguesa?”. A atual presidente do Camões, IP, Professora Doutora Ana Paula Laborinho explicou as principais dinâmicas associadas à expansão e à constante valorização da Língua Portuguesa no mundo. Um bem imaterial num “material world”.

Para ver na íntegra em: http://www.rtp.pt/play/p40/e100999/pros-e-contras.

“Português é uma língua cada vez mais global”, afirma Ana Paula Laborinho

Ana Paula LaborinhoMais de 160.000 pessoas de países não lusófonos estão a aprender português, contribuindo para a sua “crescente afirmação como uma língua global”, disse este domingo à agência Lusa a presidente do Instituto Camões, Ana Paula Laborinho.

“O crescimento do interesse pelo português fora da Europa está em alta, nomeadamente na África Austral, na América do Sul e na China”, precisou Ana Paula Laborinho.

“Infelizmente, a Europa é a região que não compreende que o português é uma língua global, em grande afirmação, o que para a Europa é também uma mais-valia. Muitas vezes, quando são elencadas as grandes línguas europeias, constatamos que o português não está incluído”, acrescentou.

Ana Paula Laborinho falava na Universidade de Estudos Estrangeiros de Pequim (Beiwai), onde participou numa conferência sobre multilinguismo organizada com o patrocínio da União Europeia.

A Beiwai foi a primeira universidade da República Popular da China a criar uma licenciatura em português, em 1961, e até ao final da década 1990, em todo o continente chinês, só havia outro curso idêntico, em Xangai.

Hoje, há mais de quinze, em cerca de uma dezena de cidades, e que no conjunto têm mais de mil alunos.

Duas professoras portuguesas enviadas pelo Instituto Camões ensinam actualmente na China e em Fevereiro chegará mais uma.

“Queremos alargar esta presença. Há um interesse cada vez maior por parte das universidades chinesas”, disse Ana Paula Laborinho.

A responsável salientou, no entanto, que a promoção do português “é um trabalho que Portugal não faz sozinho” e que o Instituto Camões “deve ser cada vez mais um facilitador de intercâmbios” entre universidades e outras instituições”, para “aproximar, dinamizar e desenvolver parcerias”.

De acordo com os registos do Instituto Camões, há 160.000 pessoas fora dos países lusófonos que estão aprender português, mas – adiantou Ana Paula Laborinho – “o número real será talvez o dobro”.

“Na África do Sul e na Namíbia, o português já foi introduzido no ensino secundário como língua opcional e há outros países da África Austral que querem fazer o mesmo”, exemplificou.

O português é também a língua oficial de oito países, de quatro continentes (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, S. Tomé e Príncipe e Timor-Leste), que no conjunto têm cerca de 250 milhões de habitantes.

(em http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/ensino/portugues-e-uma-lingua-cada-vez-mais-global)

Primeira publicação do projeto “Imagens do (Ensino) Português na Alemanha”

T. P., Baiersbronn.

No âmbito do projeto “Imagens do (Ensino) Português no Estrangeiro“, foi publicada a primeira análise dos desenhos recolhidos pelos docentes da Rede de Ensino da Alemanha. O texto, disponível em open source, pertence a um número especial da revista L1-Educational Studies in Language and Literature (12, p.1-30), co-editado por Mike Byram, Mike Fleming & Irene Pieper, dedicado à temática “Plurilingual and intercultural education”.

O artigo, da co-autoria de Sílvia Melo-Pfeifer e de Alexandra Schmidt, intitula-se “Linking “Heritage Language” Education and Plurilingual Repertoires development: evidences from drawings of Portuguese pupils in Germany” e foca a análise das representações associadas às línguas portuguesa e alemã, assim como ao milieu plurilingue dos alunos dos cursos de Língua e Cultura Portuguesa que fazem parte deste estudo.

De referir ainda que este estudo só foi possível devido a um trabalho colaborativo de toda a rede de ensino e ao envolvimento dos docentes no terreno. O projeto “Imagens do (Ensino) Português no Estrangeiro” tem o apoio do Camões, IP e da Embaixada de Portugal em Berlim.

“Portugiesisch als grosse/kleine Sprache: ein Malprojekt mit Kindern portugiesischer Herkunft in Deutschland” apresentado no Dia Europeu das Línguas (Representação da Comissão Europeia, Berlim)

No âmbito das comemorações do Dia Europeu das Línguas, promovidas pela EUNIC, foi apresentado o projeto “Imagens do (Ensino) Português no Estrangeiro” (Página do Projeto), desenvolvido pela Coordenação do Ensino Português na Alemanha.

A apresentação, intitulada “Portugiesisch als grosse/kleine Sprache: ein Malprojekt mit Kindern portugiesischer Herkunft in Deutschland” (PDF), a cargo de Sílvia Melo Pfeifer e de Alexandra Schmidt, incluiu-se na discussão que deu o mote à referida celebração, alusiva à relação dos sujeitos com as (suas) línguas e as vantagens do plurilinguismo (Vom Drama, eine große / eine kleine Sprache zu sprechen. Mehrsprachigkeit und ihre Chancen“).

A discussão no palco principal, em torno das vantagens do plurilinguismo, contou com Jürgen Trabant (especialista em Plurilinguismo Europeu, da Universidade de Bremen), Elisabeth Krone (chefe dos serviços linguísticos do Canal ARTE TV), Monika Štěpánová (Diretora do Centro Checo de Berlim) e John Whitehead (Diretor do British Council de Berlim) e a moderação ficou a cargo de Maike Albath, jornalista e crítica de literatura.

O evento decorreu nas instalações da Representação da Comissão Europeia em Berlim, no dia 25 de setembro, entre as 18h e as 20h45.

Sprachenbad – 11. Europäischer Tag der Sprachen (25./26. September 2012)

Das Sprachenbad – Förderung der Mehrsprachigkeit – vom 25. – 26.09. in den Bibliotheken

Pressemitteilung
Berlin, den 27.08.2012

Zum 11. Europäischen Tag der Sprachen 2012 finden am 25. und 26. September in zahlreichen Berliner Bezirksbibliotheken und der Zentral- und Landesbibliothek „Sprachenbäder“ statt. Minisprachkurse sollen bei Berliner Grundschulkindern das Interesse für fremde Sprachen wecken. Seit dem Jahr der Sprachen 2001 koordinieren das Europäische Fremdsprachenzentrum des Europarates und die Europäische Union zahlreiche, lokal organisierte Veranstaltungen in 45 Ländern am 26. September eines jeden Jahres zur Förderung der Mehrsprachigkeit in Europa. Der Europäische Tag der Sprachen ist in Berlin eine gemeinsame Veranstaltung der Vertretung der Europäischen Kommission in Deutschland, der Gemeinschaft der Europäischen Kulturinstitute (EUNIC Berlin), der Zentral- und Landesbibliothek Berlin sowie der Bezirksbibliotheken.
Portugiesisch (Stadtteilbibliothek Friedenau und Philipp-Schaeffer-Bibliothek)

Leitura do clássico de literatura infantil “Alice no País das Maravilhas” em Osnabrück – um balanço, um olhar!

Inserido no programa “Kinderleseclub”, realizou-se a 19 de julho pelas 17 horas a leitura de um clássico da literatura infantil, “Alice no País das Maravilhas”, na Stadtbibliotek de Osnabrück. A coordenadora do evento, Beatrice LeCoutre-Bic, convidou os representantes das cidades geminadas com Osnabrück e a docente do curso de Língua Portuguesa, Marla Andrade, para participarem no projeto.

A docente Marla Andrade, à esquerda, durante a atividade.

Mais uma vez, este momento de leitura promotor da literacia plurilingue dos mais novos contou com a presença da língua portuguesa, assim como das línguas alemã, inglesa, francesa, holandesa, russa e turca. Num primeiro momento, os seis leitores convidados apresentaram os seus países de origem e questionaram as crianças sobre os mesmos. A coordenadora do projeto deu então início à leitura da história de Alice e das suas aventuras. As crianças acompanharam a história com muita emoção e revelaram-se curiosas a cada episódio. Durante a leitura, os leitores convidados partilharam com os pequenos ouvintes palavras-chave da história na sua língua materna e um curto episódio da história foi lido nas 7 línguas. As crianças tiveram, pois, a oportunidade de entrar em contacto com outras línguas e compará-las com a sua língua materna, desenvolvendo a sua consciência plurilingue e intercultural.

No final, as crianças receberam um desenho ilustrativo da história da Alice e conheceram outras realidades numa conversa informal com os leitores sobre as suas cidades / países de origem.